A Oracle pode salvar o Java?

Diversos fatos aconteceram no último mês que dizem respeito  à comunidade Java . A Oracle permaneceu em silêncio, contudo este é  ensurdecedor.

O começo de tudo foi com a IBM juntando-se ao OpenJDK e (efetivamente) abandonando o Harmony. Uma JVM a menos, e outra continuando. A fundação Apache deu sua opinião à respeito do assunto. Eles são gratos à IBM por suas contribuições até  o presente momento e estão esperançosos que o Harmony continue com  outras contribuições.

Isso gerou uma certa discussão na comunidade, incluindo Mike Milinkovich do Eclipse, que criou um artigo no qual ele opina sobre a adoção do Java 7. Todavia, ele ratifica que se a corrente situação se mantiver, a proposta para o Java 8 terá que ser repensada na camada de modularidade para trabalhar melhor com os padrões já existentes.

Stephen Colebourne tem se aproximado ao JCP e inicialmente sugeriu que o processo deveria ser dividido em dois,  pois tornou-se claro que os componentes do JavaSE são controlados  unicamente pela ORACLE ao invés de serem votados dentro do JCP.  Entretando, ele afirmou que a Oracle está fazendo a votação pender para o  seu lado, trazendo para o quadro do JCP, um de seus clientes,  Hologic. Essa foi a primeira vez que grande parte da comunidade Java  ouviu o nome deles. Os outros dois nomeados pela ORACLE são Apache e Red  Hat. Alguns candidatos a serem reeleitos são Google e Eclipse, dentre  outros.

Embora Stephen primeiramente tenha identificado a saída de Doug Lea’s do JCP, foi a declaração de Doug explicando o por quê de sua saída que provavelmente é o mais devastador.

Eu acredito que o JCP não é mais um grupo de  especificação e padrões confiável, e não tem existe nenhum papel  relevante a alguém independente da comunidade acadêmica no Comitê  Executivo.

Suas observações são que o JCP originalmente era uma lugar que se  pretendia ter para construir novas ideias e contribuir com colaborações  com a finalidade de trazer um avanço à plataforma Java e a comunidade  como um tudo. Todavia, muitas das ferramentas utilizadas hoje em dia  pelo s desenvolvedores Java não passaram pelo JCP. Por exemplo, Servlets  foram inicialmente projetadas fora do JCP e só depois entrou na  especificação; O Spring vem trabalhando em conjunto com a comunidade e popularizou a injeção de dependência; A Apache continua a hospedar a maioria das ferramentas open-source Java e ambas ferramentas de build em Java do Ant e Maven, já comprovadamente adotadas, nunca foram padronizadas pelo JCP mas mesmo assim são usadas diariamente. Nem o já padronizado JUnit ( ou o menos conhecido mas tão bom quanto TestNG) framework de teste nunca nem passou perto de estar em uma JSR (Java Specification Request). E, sem dúvidas, JSRs ajudaram a criar muita mediocridade de várias formas.; muitos evitam a API de Logging  para Java e ao invés dela usam o Commons Logging, ou alguma das camadas compatíveis que usam a mesma API. (Na verdade, a existência do Apache Commons confirma que o desenvolvimento orientado ao que é padronizado  frequentemente perde uma variedade de bibliotecas úteis. Doug diz que o  JCP não pode ser nada mais que uma organização de carimbo da Oracle.

Ao invés de consertar regras ou cessar violações, a Oracle agora promete simplesmente ignorá-las. Se eles realmente agirem conforme prometido, então o JCP  não deve ser  mais do que uma organização para aprovar as iniciativas da Oracle.

Para outros esforços, eu não posso recomendar a ninguém que  eles usem o JCP como alternativa a alguns outros  grupos/organizações/corpos para obter um consenso para especificações  propostas. Então eu espero ver menos propostas ao passo que as pessoas  comecem a constatar que outras locais fornecem oportunidades melhores.

Neil Bartlett sugere que já existe um grupo que define padrões para o Java que é melhor que o JCP.

Entretanto, uma organização de especificação e padrões  confiável já existe na comunidade Java. Eu vou deixar a descoberta de  sua identidade como um exercício [OSGi], mas deixe-me apenas ressaltar algumas de suas características interessantes

  1. Produz especificações fantásticas e de qualidade;
  2. Trabalhou efetivamente por 10 anos como um fórum de colaboração para empresas concorrentes;
  3. Oracle é um membro ativo, porém não é a dona. Na verdade, todos os membros possuem os mesmos direitos.
  4. Todas as especificações são abertas e vem com uma promessa dos membros de não tornarem patentes;
  5. TCK’s estão disponíveis para projeto open-source, e a maioria das implementações referências já são open-source.

Ao longo de tudo isso, a Oracle permaneceu em silêncio. Com os  resultados da eleição do JCP  sendo postados depois do fechamento em  01/11, a Oracle pode escolher esperar para responder publicamente. Mas  Ian Skettett, da fundação Eclipse, acha que a Oracle precisa achar um jeito de como lidar com a comunidade ao invés de tratá-la como clientes.

Eu odeio contar, mas vocês precisam de ajuda para lidar  com a comunidade Java. O problema básico é que as pessoas não confiam em  vocês e vocês não são tão bons para fomentar uma comunidade; Aliás,  vocês são muitos ruins na questões de marketing para comunidade.

Agora muita gente tem falado do Java mas a resposta de vocês é apenas  o silêncio. A conversa está rolando e vocês não estão participando, o  que gera muita especulação e hipóteses, que não é nada bom para  construir confiança.

Isso veio à tona juntamente com o anúncio da Apple, que não irá dar mais suporte ao Java para plataforma Mac, sugerindo fortemente que a Apple não vai mais colocar o Java nas já existentes ou futuras versões do seu sistema operacional. (Sendo que já foi confirmado que não terá o Flash instalado). Um email, supostamente escrito por Steve Jobs, sugere que a Apple fornecendo JVMs pode não ser o melhor caminho a ser feito. A implicação disso é que outro player (como Oracle) estaria em melhor posição.

É claro que a Oracle pode não se preocupar com a falta de suporte ao  Java na plataforma Mac. Afinal de contas, existem poucas aplicações Java  no cliente; e apesar dos esforços da Apple para trazer Mac OSX ao  servidor, o roadmap da Apple baseado em esconder hardware é incompatível  com a maioria dos requisitos para compra de aplicações baseadas em  servidor. A Oracle nem mesmo fornece o seu banco de dados para produtos  Mac; embora as ferramentas para usufruir do banco de dados são baseadas  no Eclipse, que atualmente roda no OSX.

Seja lá qual for o motivo, a Oracle não está contribuindo  permanecendo em silêncio sobre isso, e as afirmações feitas por Doug Lea  condenando o JCP, alinhadas com os comentários do Ian, indicam que  enquanto a Orace estiver controlando a plataforma Java, não haverá mais  ligação com a comunidade. E apesar do OSX ser um plataforma que ainda  não atingiu as maiorias (menos de 10% dos visitantes no site da Eclipse),  a Apple é vista como uma líder em tecnologia e uma empresa que adora se  desfazer de tecnologias mortas (disquetes, portas paralelas) quando  elas começam a ficar obsoletas.

Nós pedimos à Oracle que comentasse a respeito porém eles recusaram o nosso convite.

A Oracle precisa esclarecer o que está acontecendo com o JCP e os comentários sobre a remoção do Java da plataforma OSX’s. Ela ainda  pode  consertar tudo isso, mas o silêncio é catastrófico. A Oracle pode  ter comprado os direitos do Java, mas não comprou a comunidade Java.

No Brasil, a Oracle da bons sinais em relação ao Java trazendo pela primeira vez seu principal evento, o JavaONE, a São Paulo.

Fonte:nfoQ

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s